Ranking coloca Brasil como segundo país que mais possui investidores em criptomoedas

Ranking coloca Brasil como segundo país que mais possui investidores em criptomoedas 1



Ranking coloca Brasil como segundo país que mais possui investidores em criptomoedas 2

Relatório divulgado no último dia 12 de junho pela empresa Statista, coloca o Brasil como o segundo país com mais investidores em criptomoedas. O líder do ranking, que considera a proporção da população que investe ou já investiu em ativos digitais, é a Turquia.

As criptomoedas surgiram em 2009 com o lançamento do whitepaper do Bitcoin. A idéia do projeto era criar uma forma de dinheiro que seja imune à censura, sem limites para transferêcia e completamente democrática.

Com a crescente popularidade devido à valorização que o Bitcoin adquiriu nos últimos anos, a adoção de outras criptomoedas também aumentou. No entanto, o crescimento do ecossistema não foi sentido de forma igual e uniforme em todo o mundo. 

A análise do Statista verificou as posses de criptomoedas em diversos países. Mil pessoas foram entrevistadas em cada país. O relatório revelou que a posse de criptos era mais comum na Turquia, onde uma em cada cinco pessoas já possuiu criptomoedas. 

A Turquia é um país cheio de tensões políticas e, à luz de suas tensões econômicas com os EUA e a União Européia, o valor da Lira (moeda fiduciária da Turquia) caiu, enquanto a inflação subiu para preocupantes 18% em maio. Para muitos no país, Bitcoin e criptos oferecem melhor opção como reserva de valor do que a Lira Turca.

O Brasil sempre foi um país ávido por adotar novas tecnologias. Redes sociais como Orkut e Facebook explodiram em adoção uma vez que chegaram às terras tupiniquins. Segundo o estudo, 18% dos brasileiros declararam que já possuiram criptomoedas.

Segundo o relatório, outros países da América Latina como Colômbia, Argentina, México e Chile obtiveram mais usuários de criptomoedas do que nações de língua inglesa. Como no caso da Turquia, parece haver uma correlação entre o uso de criptomoedas e a estabilidade econômica do país.

A posição da Espanha pode ser atribuída ao crescente número de caixas eletrônicos bancários que permitem a troca de Bitcoin por moeda fiduciária no país. A nação ibérica tem uma das maiores taxas de adoção de criptomoedas da Europa.

Outra estatística reveladora foi o fato de que apenas 3% da população do Japão é considerada detentora de criptomoedas. Isso sugere que, depois de anos sendo o centro de inovação em criptomoedas, a crescente regulamentação do espaço está causando um impacto na popularidade das criptos no país.

Conforme reportado pelo Cointelegraph, o Japão acaba de aprovar um novo projeto de lei que visa reformular as regras que regulam o mercado de criptomoedas no país.




What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Empresa de negociação de energia baseada em blockchain vai otimizar distribuição de energia solar na Áustria 21

Empresa de negociação de energia baseada em blockchain vai otimizar distribuição de energia solar na Áustria

Securitize e grupo de advocacia local fazem parceria para promover a adoção de valores digitais 22

Securitize e grupo de advocacia local fazem parceria para promover a adoção de valores digitais