Coreia do Norte está usando criptomoedas para custear forças armadas

Coreia do Norte está usando criptomoedas para custear forças armadas 1

A Organização das Nações Unidas (ONU) está investigando 35 ataques cibernéticos feitos pela Coreia do Norte com alvo em 17 países, de acordo com um artigo publicado pela Associated Press. A notícia surge após uma lista de países como Coreia do Sul, Índia, Bangladesh e Chile terem sido vítimas de ataques que partiram da Coréia do Norte.

Conforme mais nações se tornam vítimas de ataques cujo rastreamento aponta para a Coreia do Norte, a Organização das Nações Unidas entrou em ação para lidar com o crescente problema e foi capaz de identificar os vários modos de operação dos hackers em questão.

Coreia do Norte pode estar minerando criptomoedas para custear setores militares

De acordo com o relatório, uma das maneiras pelas quais os hackers operam é realizando ataques tanto a exchanges quanto a usuários para assumir o controle de carteiras com o objetivo de roubar criptomoedas. Outro método conhecido é através da mineração de criptomoedas para o custeamento de setores militares.

De acordo com o artigo, as investigações também revelaram casos de “cryptojacking”, tais ataques são feitos por malwares que utilizam o computador da vítima para minerar criptomoedas, obviamente sem a permissão do usuário. Anteriormente, um relatório havia analisado um malware projetado para minerar a criptomoeda Monero (XMR) e enviar todas moedas mineradas para servidores localizados na Universidade Kim Il-sung em Pyongyang.

Hackers norte-coreanos roubaram 58 milhões de dólares da Bithumb

Uma das grandes exchanges de criptomoedas do país vizinho, a Bithumb, teria sido vítima em pelo menos quatro ocasiões diferentes entre 2017 e 2019, perdendo cerca de 58 milhões de dólares. Os dois primeiros ataques foram feitos em 2017. A exchange havia perdido cerca de 7 milhões de dólares no ataque sofrido na época. Cerca de um ano depois, outro ataque foi feito, no qual os hackers conseguiram roubar cerca de 30 milhões de dólares. O ataque mais recente ocorreu em março de 2019 e causou um prejuízo de 20 milhões de dólares para a exchange.

Coreia do Norte roubando fundos para fabricar armas

Mais países mantêm relatórios de atividades ilícitas de origem norte-coreana. De acordo com um relatório do Conselho de Segurança da ONU, publicado há cerca de uma semana, a Coreia do Norte realizou ataques abrangentes e cada vez mais sofisticados para coletar o equivalente a 2 bilhões de dólares. Estes fundos supostamente foram usados para custear suas várias armas de destruição em massa.





What do you think?

0 points
Upvote Downvote

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Pesquisador do Blockchain Research Institute fala sobre blockchain e propriedade intelectual 20

Pesquisador do Blockchain Research Institute fala sobre blockchain e propriedade intelectual

Blockchain é parte da inovação do Banco Itaú, diz executivo 21

Blockchain é parte da inovação do Banco Itaú, diz executivo